A VINGANÇA DA GENTILEZA

Uma dose de amor para pessoas amargas

A gentileza sem dúvida transforma qualquer desconforto. Talvez ela esteja um pouco em falta nas prateleiras da vida, mas não custa nada relembrar dela de vez em quando. Em meio a nossa sociedade doente pelo eu, a gentileza tem se tornado algo caro demais para aqueles que nunca tem tempo. Um mix de egoísmo com orgulho (orgulho não sei de que) nos conduz ao instransponível muro de gelo chamado antipatia, que pasmem, pode vir acompanhado de leves doses de maldade. A rotina nos faz um pouco cegos a isso, exceto quando vivenciamos na pele a falta de empatia.

E foi exatamente assim que aconteceu...

Eu estava na academia, na correria para dar tempo de malhar e seguir para o trabalho. No final da maratona, na hora do meu merecido banho, corri para o banheiro, me preparei e na hora H não havia água. A menina que estava no banheiro na hora que entrei (velha conhecida), fez o favor de não me avisar nada enquanto aguardava a água voltar, me vendo correr sem dizer uma palavra. Depois de alguns minutos de desespero, caiu finalmente um fio de água e consegui terminar o banho de gato para começar o dia. Pensei na situação durante uma semana. Remoendo vinganças maiores, claro!

Depois de um tempo tive certeza de que a vingança é um prato que se come frio. Porém, nada melhor que comê-la com uma boa porção de educação e gentileza. E assim, uma semana depois nos encontramos de novo no mesmo banheiro, na mesma situação, só que dessa vez a informação da falta de água estava comigo. Vi que ela se preparava para o banho, pensei, pensei... e de maneira muito gentil disse “– A água acabou! Melhor não arriscar, você tem hora também! ”

Ela de morena ficou branca e depois desse dia nos falamos sempre de maneira muito simpática. Nada melhor que a gentileza para pessoas amargas. Vingança completada com êxito!

Passada a doce sentença, percebi que o que tem faltado no mundo são vinganças como essa. É só olhar demoradamente para as gentilezas perdidas do dia a dia. O cara que eu poderia ter deixado entrar na minha frente no trânsito, as sacolas de alguém que eu poderia ajudar a carregar, a chave no chão que eu poderia ter pego para aquela senhora, a resposta tranquila que eu poderia ter dado a um comentário maldoso. No fundo, agradeço por podermos conviver de perto com pessoas que não se importam com as outras, elas nos fazem ver o quanto não vale a pena sermos vazios. Nosso caminho na vida deve ser leve, e leveza se conquista deixando os pesos para trás. O amor que gera amor deve ser nossa meta constante.

No meio desse turbilhão que a falta de água no banho me levou, lembrei do Profeta Gentileza, de sua incrível história de mudança e de amor ao próximo. E, como bons “Josés Agradecidos” que somos, seguimos confiantes que recebemos o que emanamos e que cada um pode sim plantar uma semente de gentileza na vida de quem só tem terra batida.

Como diria a canção:

Nem tudo apodrecido
De modo que se possa dizer
Nada presta
Nada presta
Nem todos derrotados
De modo que não dê pra se fazer
Uma festa
Uma festa.

Gonzaguinha

5 comentários sobre “A VINGANÇA DA GENTILEZA”

Deixe uma resposta