A PESSOA ERRADA

Como ter o relacionamento ideal

Depois de anos de espera, de longas listas das "10 coisas mais importantes sobre relacionamentos que você precisa saber", depois de observar todos os outros casais e seus detalhes, depois de tantas idas e vindas e tantos "agora vai, é esse", o amor chegou para mim.

Chegou tão discreto que nem parecia amor. Parecia sorte. E era!

Foi um amor escolhido a dedo, pensado nas insignificâncias e vivido cada pedacinho.

E eu... descobri que sou a pessoa errada nessa história! Assim, de súbito!

Não sei se foi o susto do sossego que ele trouxe de repente. Acho que foi isso mesmo.

Imaginamos o amor com o rosto da paixão e no fundo ele vem é com cara própria mesmo. Sem muitas delongas ou muitas frescuras de bom convidado. E, toda essa verdade é assustadora. É devastadora para as almas solitárias e sonhadoras. Quando o sonho é real demais, às vezes, insistimos em continuar dormindo.

Sou a pessoa errada! Fato! Fato... amplamente mutável.

No quesito relacionamento, costumamos rotular as pessoas em dois grupos: as pessoas certas e as pessoas erradas. As “pessoas certas” nasceram para a coisa. Elas são plenas, felizes, resolvem os problemas amorosos com desenvoltura e elegância, são autoconfiantes, agregadoras e todos conseguem perceber que elas “nasceram para casar”. Já outras, são desconfiadas por natureza, um pouco ignorante às vezes, escolhem suas relações baseadas em carências (mesmo que não assumam isso), tem medo de se comprometer e construir planos futuros e todos conseguem perceber que eles nasceram para “curtir a vida” e não “se amarrar em alguém”.

O fato é que todos nós somos apenas pessoas. Somos na verdade a soma entre a “pessoa certa” e a “pessoa errada” e alternamos entre elas a medida que mudamos nosso comportamento através do humor, da própria relação, do nosso nível de maturidade em determinados assuntos e, principalmente, a partir da proporção do amor que sentimos pelo outro. O relacionamento ideal não existe, da mesma forma que não existem pessoas ideais. Existem pessoas que erram e acertam, que ora desistem e ora vão em frente. Pessoas que querem desesperadamente amar.

Assim, entendi que como uma boa “pessoa” que sou, não ligo muito para dizer que quero ouvir sua voz, não mando mensagens de cobrança, não digo o mesmo sobre os sentimentos na maioria das vezes, não aguento a rotina, me irrito com facilidade, brigo por bobeiras - que não são bobeiras para mim, não faço muitas surpresas e nem compro muitos presentes. Mas, entre todos esses meus poréns, tenho em mim um amor enorme demonstrado no dia a dia e disposto a mover o mundo, a transformá-lo, a reinventar o relacionamento quantas vezes for preciso. E tudo isso só para vê-lo feliz!

Sou a pessoa errada que talvez ame da maneira certa!

7 comentários sobre “A PESSOA ERRADA”

  1. Estar disponível para ser feliz no amor é buscar ser aquele alguém que você amaria.
    O equilíbrio das nossas personalidades vem quando começamos a nos conhecer. É incrível a facilidade que você se define!

    1. Eu acredito que no fundo somos todos um pouco “a pessoa errada” e “a pessoa certa”, né? Muito obrigada Joyce!! Fico muito feliz lendo isso!

Deixe uma resposta