UM BEBÊ CHAMADO DEMOCRACIA

Lula lá, o Brasil criança!

“Finalmente! Agora está tudo 100% no mundo político. Ministros impolutos, Congresso honesto, deputados que pensam apenas no bem do país, senadores que não acobertam crimes de seus pares, juízes que não se deixam pressionar pela mídia e, completando o quadro #LulaCondenado”
Paulo Coelho

“Mil helicópteros de cocaína cairão ao seu lado, dez mil trabalhadores sem direitos à sua direita, deputados sairão correndo com malas de dinheiro, cem mil hectares serão grilados à sua esquerda, mas tu só se indignarás com um triplex de convicções. Coxíneos 15:45 — Todos: Amém!“.
Paulo Henrique Amorim

Com as duas frases que mais viralizaram na internet essa semana após a condenação do Ex-Presidente Luís Inácio Lula da Silva pelo TRF-4 – no caso do Triplex do Guarujá –, iniciamos nossa reflexão sobre a democracia brasileira, cada vez mais discutível.

Pensando nossa história de maneira bem simples e pontual (sem grandes análises históricas), nossa menina democracia inicia uma longa caminhada agonizante “surgindo” timidamente nos braços do Marechal Deodoro da Fonseca em 1889, com a famosa Proclamação da República – simbolicamente uma grande etapa democrática. Nessa época, passamos pela fase conturbada da República da Espada e vivenciamos a aparente tranquilidade provocada pelas relações oligárquicas dos coronéis e suas eleições a bico de pena. Seguimos em frente com a Revolução de 30 e o poder de Vargas perpetuado pela ditadura do Estado Novo. De 45 a 64 caminhamos frente uma democracia altamente instável e com ensaios de golpes; vivemos nesse período ainda uma intervenção militar no governo. De 64 a 85, nosso período mais marcante, a intervenção militar, onde a classe não só interfere como também assume o poder político, que dura 20 anos e marca para sempre sua trajetória. De lá para cá passaram-se 30 anos de ensaio democrático, com dois impeachments presidências, grandes escândalos econômicos e uma forte investida judiciária nos últimos anos.

The New York Times fala sobre condenação de Lula.

Dentro desse contexto, observamos a democracia brasileira como um bebê ainda aprendendo a engatinhar que, privado de descobrir o mundo pelos seus pais, busca sozinho chances de respirar por si próprio. Nossa menina, que nunca existiu de fato, sustenta a ilusão de um país evoluído politicamente e esconde os interesses financeiros das classes mais destacadas. No fim, em todas as tentativas de ter uma existência real, é brecada com largos passos de retrocesso.

Ao pensar nossa realidade política frente ao caso Lula é necessário levar em conta a nossa fragilidade democrática. A maior discussão não seria a titularidade do tríplex do Guarujá e sim os caminhos tortos aos quais nossa democracia tem sido levada a caminhar. Muito se falou em “justiça” e no “fantasma vivo da corrupção” como meios de legitimar a acusação e o embargo a candidatura do ex-presidente nas eleições desse ano. É preciso analisar as relações políticas nas quais os juízes do caso estão envolvidos e aliados, o significado da possível vitória de Lula frente aos interesses do governo Temer e seus aliados e, acima de tudo, o significado marcante que a vitória do poder judiciário sobre o executivo pode provocar. Depois de pensado isso tudo, cabe fazermos nossas conclusões pessoais.

Inúmeros casos de corrupção foram expostos, dentro e fora das plataformas de governo e seria muita ingenuidade julgar a inocência de muitos políticos em relação a elas. Sendo assim, se Lula é culpado ou inocente, não iremos discutir. Parece difícil de acreditar, no entanto, hoje o mais importante não é o crime, mas sim as ideologias que encobrem a acusação dele e as consequências de seus resultados para nossa autonomia democrática.

Claro, que a democracia não seja endeusada, vista como saída única para os males brasileiros. Porém, vale lembrar que dentro de todos os sistemas políticos que conhecemos, ainda vale a pena lutar por ela, trazê-la a vida e fazer valer a nossa voz. Nosso Brasil criança precisa ser educado e crescer, quem sabe, em berço esplêndido. Qual destino queremos para ele quando enfim crescer?

 

Links interessantes sobre o tema:
Reações dos Políticos Brasileiros a Condenação de Lula

Democracia no Brasil Empurrada No Abismo – The New York Times

O Julgamento de Lula em Imagens

Gafe da Band News Durante o Julgamento de Lula dá o que Falar

PT oficializa Lula como pré-candidato após condenação no TRF-4

1 comentário sobre “UM BEBÊ CHAMADO DEMOCRACIA”

Deixe uma resposta