CONHEÇO PESSOAS INCRÍVEIS

Amanhã podemos ser melhores que hoje!

É difícil construir a ideia de que pertencemos a um coletivo, a uma espécie muito maior que nossos egos. Talvez leve algum tempo até o dia em que vamos olhar para o lado e entender que a vida acontece em nós da mesma forma que acontece no outro. Mas, algumas pessoas conseguem e elas, elas são realmente inexplicáveis.

Tenho o prazer de conhecer três delas. Acredito que sejam raras, daquelas que não se vê todo dia, não se esbarra sempre, não se esquece nunca.

Eu estava em uma loja de biscoitos esses dias quando encontrei com uma. Não nos víamos há muito tempo e naquela de conversa vai, conversa vem, ela me diz que o que mais queria na vida era “conhecer o mundo e fazer o bem”. Continuei a conversa, mas meu coração e minha mente pararam naquela frase. Pequena, tão simples, tão cheia de bondade e certezas. Ela não sabe, mas pensei horas sobre aquela conversa, pensei horas na pessoa incrível que ela estava se tornando e no quanto eu era grata por conhecê-la.

Essa conversa, que tinha tudo para ser um “oi, quanto tempo”, se transformou na porta de uma decisão: eu podia ser uma pessoa melhor! Eu podia ser mais do bem, mais da vida. Podia sair mais de mim do que antes e, olhar para o mundo com mais beleza do que as últimas vezes em que o vi. Eu podia querer o mundo também!

No meio de todos esses pensamentos, lembrei de mais duas dessas minhas pessoas. Lembrei delas e de suas frases. Um deles, me disse sem se vangloriar, no meio de um evento onde ganhávamos um prêmio, que todos os dias ele se perguntava “o que fiz para melhorar o mundo hoje?”. Ele simplesmente se perguntava isso todos os dias antes de dormir. Ele queria ajudar o mundo, todos os dias! Fiquei sem palavras. Não tive dúvidas, ele não estava ganhando o prêmio pelo belo trabalho que fez, estava ganhando o prêmio porque havia mudado um pouco o mundo, estava ganhando o prêmio porque colocou seu coração naquilo que era bom para esse tal coletivo humano.

Outra dessas minhas pessoas, em uma conversa sobre o texto “Quando o seu amor morrer...” disse “se eu morrer primeiro, quero que ele encontre alguém que o faça feliz. Não quero que ele sofra”. Na maioria das vezes, a gente imagina que quem morre é o outro... Olhei pra vida dela, pra esse amor lindo que ela vive e, conhecendo sua história, tive certeza que ela merecia essa felicidade toda mesmo. Entendi que amor tem muito mais a ver com o fato de se ter um coração generoso do que se ter alguém para amar.

Assim, hoje, no meio de todas essas minhas pessoas incríveis – e procurando muitas outras que acredito ainda encontrar no meio do caminho – quero apenas ser melhor que ontem, e amanhã ser melhor que hoje, e agora ser mais viva do que já fui, e ser mais eu do que eu mesma posso ser. Para assim, quem sabe, ser também boa, ser também altruísta, ser também generosa. Para assim, quem sabe, entender o mundo como uma casa só, compreender os homens como uma só família, amar a vida no mesmo peito que amo a chance de vivê-la.

Parece um longo caminho, mas sei que com calma chego lá. Afinal de contas, conheço pessoas incríveis!

Deixe uma resposta