SEIS AMIGAS, UMA HISTÓRIA!

Amigas contam como a amizade transforma nossas vidas!

Hoje, dia 20 de julho, comemoramos o dia Nacional do Amigo e o dia Internacional da Amizade e, para brindar esses laços com muita alegria e personalidade, convidamos um grupo de amigas para lá de especial.

Natália, Patrícia, Ana Beatriz, Brenda, Priscila e Gabriela (na imagem, da esquerda para a direita) se conheceram na cidade de São Pedro da Aldeia, quando ainda eram crianças, a cerca de 9/10 anos atrás. Dividiram experiências da infância, adolescência e agora partilham as glórias e dores da vida adulta, com uma amizade que sobreviveu ao tempo e as mudanças.

Completamente diferentes e ainda assim iguais, essas mulheres fortes e inteligentes mostram o quanto ter um ombro e ser um ombro pode nos fazer melhor do que já somos e nos mover a crescer, desenvolvendo aquilo que temos de mais lindo em nós mesmos e nos outros. Vamos conhecê-las um pouco mais?

1) Meninas, como e quando vocês se conheceram?
Nos conhecemos em momentos diferentes da vida. Brenda e Natália já são amigas desde o início da vida, porque as famílias eram próximas. Patrícia e Priscila são primas, então também já se conheciam desde sempre. Eu (Ana Bia) e Gabriela nos conhecíamos também pelas nossas famílias, mas não éramos amigas, pelo contrário rs.
Brenda e Natália participavam de um grupo de adolescentes na Igreja, que se chama Infância e Adolescência Missionária (IAM), onde Marlene, mãe de Brenda, era coordenadora. Patrícia e Priscila, vieram morar aqui na região e começaram a estudar na mesma escola que Natalia e Brenda e, se tornaram amigas; na sequência também começaram a participar da mesma igreja e desse mesmo grupo. Eu (Ana Bia) comecei a participar da igreja em 2009 e convidei Gabi para ir comigo. Por insistência da mãe de Gabi e da minha em quererem que nós fossemos amigas e participássemos da igreja.
Foi então, que todas se encontraram no grupo da IAM, que era bem numeroso e unido. Começamos a nos identificar, apesar das muitas diferenças. Até percebermos que não estávamos fazendo só as atividades da igreja juntas, mas da nossa vida pessoal também. Como o passar do tempo a gente acabou se aproximando ainda mais e iniciando a construção da amizade.

2) Quando perceberam que vocês eram realmente amigas?
Quando precisávamos falar e as primeiras pessoas que pensávamos eram nós, para trocar confidencias, partilhar alegrias e desafios. Quando já estávamos incluindo umas às outras em nossos planos de vida.

3) Qual a história mais engraçada que vocês viveram juntas?
Iremos titular esta história de “A louca da bolsa”.
Um belo dia, estávamos voltando do Shopping e resolvemos descer no Extra para comprar Guloseimas para a madrugada que íamos passar na casa de Priscila. Descemos do ônibus normalmente até Patrícia perceber que não sabia onde estava a sua bolsa e começar a se desesperar atrás do ônibus, gritando, e nós não tínhamos reação. Ela conseguiu entrar no ônibus e ao subir percebeu que a bolsa estava o tempo todo no ombro dela. Daí vocês perguntam, por que vocês não avisaram? Porque quem nos conhece sabe o quanto somos bobas e estávamos nos acabando de rir, sem condições de falar qualquer coisa.

Fotos comparativas: A primeira por volta de 2012 e a segunda em 2017

4) Qual foi o momento mais difícil que enfrentaram? 
O nosso afastamento foi complicado, porque cada uma estava passando por momentos que precisava da união de sempre. Não ter a quem recorrer se tornou frustrante, perdemos a referência. Tivemos muitas brigas pelas cobranças da lealdade. O momento mais difícil, na realidade foi aquele que não enfrentamos juntas pelo distanciamento.

 
5) Quais as características mais marcantes de cada uma e como elas influenciam na amizade de vocês?
Acho que a gente tem características que se assimilam e ao mesmo tempo nos diferem bastante, acabam nos ajudando a dar um equilíbrio para a nossa amizade enquanto o sexteto.

- Brenda, Gabriela e Patrícia não tem papas na língua, são àquelas que independente do que for vão falar na cara, pode até doer, mas vão dizer que é para o nosso bem. Se quisermos soluções práticas saberão dar, não existe meio termo. Estão sempre disponíveis para ajudar. Principalmente a Brenda, seja dinheiro ou amor, ela é muito mandona, quer dizer madura e desprendida. A Gabriela é o amor próprio, a que sabe fazer mil coisas, não morre de fome. Sabe responder sobre tudo (a gente fica até assustada). Patrícia tem um humor sarcástico, destemida em suas decisões, arrisca para depois pensar. As três apesar de aparentarem serem bem marrentas, até secas, são sensíveis, sobretudo a opiniões das pessoas que elas gostam. Elas têm um jeito diferente de demonstrar carinho e cuidado.

-Natália é mais introspectiva, difícil saber o que ela está pensando. É preciso conhecer muito para entender as atitudes, os momentos que ela quer ficar distante e respeitar os momentos ela quer se entregar e estar ali para vivermos com ela. Cheia de nuances! Tem um espírito leve e o riso solto. Difícil ter uma opinião formada sobre algo. Deixa na mão ás vezes, mas nada que uma boa pressão não resolva e ela logo se faz presente.

-Priscila é a sensatez ao extremo! Tem suas próprias teorias imutáveis (mas que a gente sabe que um dia vão mudar HAHA’). Se Gabriela tem respostas, ela tem as perguntas, muitas, sobre todos os assuntos e a cara de pau para fazê-las para QUALQUER pessoa. Esbanja simpatia, acolhimento, paciência para ouvir e aconselhar. É o nosso anjinho da guarda e mascote para zuações, porque tem que ter alguém para implicarmos, não é mesmo?

- Ana Bia é a prestativa, não aprendeu a dizer não para as coisas! Isso é bom porque sabemos que podemos contar a todo instante e ruim porque está sempre enrolada. Infelizmente se importa muito com as opiniões alheias, se bloqueando por isso. Está sempre sorrindo, é carinhosa, sensível e extremante nostálgica.

Aniversário de 15 anos da Priscila.

6) Vocês acham que a amizade é como as outras relações que estabelecemos (família/namoro)? Se não, o que ela tem de diferente das outras?
Acreditamos que existem diferenças e semelhanças entre a amizade e os outros relacionamentos, familiares e amorosos. A primeira é que dificilmente sabemos quando começou, a família é quando nós nascemos (á exceções), o namoro é dia que dissemos sim um para o outro, mas a amizade é difícil ter precisão da data que aceitamos ser amigas, que nos identificamos, é sempre um processo. A segunda diferença é a escolha, pois não estamos ligados por contratos sociais ou por vezes laços de sangue, escolhemos permanecer juntas. É a liberdade que torna especial e despretensiosa uma verdadeira amizade. Já as semelhanças são muitas, desde o querer bem, cuidando, amando, se preocupando e aconselhando como mães e filhas – são papéis que sempre se invertem Rs’ A verdade é que chega um momento que os amigos são parte da sua família e sutilmente incluídos em outros relacionamentos da sua vida. Sem comparações!

7) O que a amizade que vocês construíram tem de diferente das outras amizades que vocês possuem?
A nossa vivência é um diferencial, pois nós crescemos e experienciamos as fases da infância até a vida adulta, fomos resistentes e perseverantes apesar das adversidades. A gente pode não se ver e falar com frequência, mas quando nos encontrarmos tudo acontece da melhor forma; nada mudou na nossa relação, continuamos nos alegrando e pulando com a felicidade uma da outra, ajoelhando em meio às tristezas e tendo vontade de estar sempre presente, mesmo que a vida tenha nos separado fisicamente. Em nossa amizade há intimidade, temos liberdade para falarmos qualquer coisa uma para outra, pois o que predomina é a verdade. Somos sinceras em nossa relação. Por fim, conseguimos nos complementar com as nossas diferenças e conviver bem com elas, pois o amor, a parceria, a intimidade, sem dúvidas são maiores que tudo o que pode nos separar.

8) Como o tempo interferiu na amizade que vocês construíram?
O tempo nos conduziu a caminhos diferentes, ou seja, mudamos de cidade, adquirimos outros ciclos de amizade e a nossa frequência não é a mesma, pois não nos vemos como gostaríamos. Contudo, ele nos foi um aliado, na medida em que nos ajudou a reconhecer a importância que cada um tem na vida uma da outra, nos ajudou enxergar o amadurecemos e crescemos quanto mulheres, permanecemos unidas apesar da distância e em meios a várias situações que precisamos aprender a nos perdoar.

Fotos comparativas: A primeira por volta de 2017 e a segunda em 2014/15.

9) A amizade mudou à medida que vocês mudaram?
Mudou muito! Afinal nós mudamos muito. Mas, tudo na vida tem seu lado positivo e negativo. No negativo temos a distância afetuosa e territorial, começamos a conviver menos e com isso novas amizades foram surgindo (sim, somos possessivas J). Entendemos também que a abertura para outras amizades foi como um termômetro para mostrar que não estávamos em sintonia, porém foi muito importante para ampliarmos nossos olhares do mundo e saíssemos do comodismo.
No positivo, foi o amadurecimento que tivemos, ficamos mais compreensivas e aprendemos a confiar ainda mais uma na outra. Sentimo-nos atualmente mais à vontade ao falar de assuntos que antes não tínhamos tanta coragem.

10) Por que vocês continuam amigas?
Continuamos simplesmente porque queremos precisar uma da outra. Reconhecemos a importância que cada uma tem, a gente permite se complementar, nos fazemos bem, nos amamos e respeitamos acima de tudo e, ainda temos muita força de vontade para continuarmos sendo amigas. E os anos só mostram que a distância não significa ser ausente da vida uma da outra.  A confiança que fomos adquirindo cada vez mais facilitou para continuarmos dividindo momentos apesar de quilômetros de distância.

11) Como se imaginam daqui a 10 anos? A amizade continuaria existindo? 
As opiniões se dividem! KKK’ No geral esperamos estar vivas, felizes e bem-sucedidas em nossas profissões e projetos! O casamento e filhos, não é tão certo para todas, porém certamente seremos madrinhas de casamentos e batizados. Inevitavelmente estaremos mais distantes fisicamente e talvez não tenhamos as mesmas possibilidades de nos encontrar. Mas, desejamos continuar com a mesma vontade de estarmos unidas e compartilhando momentos, não importando o jeito. O fundamental é que possamos nos incluir nos planos umas das outras, assim seremos prioridades sempre, não importando o passar dos anos. Não suportamos a ideia de adultos não terem amizades.

Perseverança, Verdade e Perdão.

12) Qual palavra melhor define a amizade de vocês?
Não conseguimos definir apenas uma palavra, mas em três: A PERSEVERANÇA em não desistirmos, a VERDADE que nos tratamos e o PERDÃO que aprendemos a exercer quando descobrimos que nosso amor era maior.

13) O que é amizade para vocês?
Amizade é saber que você tem com quem contar em qualquer momento da sua vida. Que vai te falar a verdade por mais que ela doa e, se doer, vai estar ao seu lado para te amparar, porque não quer te ver sofrer e sim te fazer crescer. Nos momentos de alegria irá “suportar” sua felicidade, porque os verdadeiros não ficam mal por sua felicidade, curtem contigo. É você confiar em alguém de olhos fechados. É saber que tem alguém orando por você e querendo seu bem, porque não precisa estar perto fisicamente para demonstrar que está junto e sim estar junto mesmo estando longe. Amizade não é status, é parceria.

14) Qual mensagem vocês deixam sobre amizade aos nossos leitores?
Bom, tudo que já vivemos serve de experiência, acontecimentos negativos fazem parte e servem para fortalecer. Lembre-se que é dando que se recebe, então, seja o amigo que você quer ter, seja carinhoso que terá carinho, saiba ouvir que ele te ouvirá, se esforce para estar junto que nunca ficará sozinho. A vida é muito sem graça sem amigos, então, se você tem algum amigo que se distanciou ou é você esse amigo, não deixe que o orgulho atrapalhe. Se faz falta não perca tempo. Amizade é valiosa demais para se perder por bobeira. Existem todos os tipos de amizade, mas os verdadeiros valem a pena cada esforço.


Quero deixar meu agradecimento, mais que especial, a essas mulheres lindas que pude conhecer ao longo da minha vida e espero levar comigo por muito tempo. Com suas histórias, me ensinam a amar e a ser uma amiga melhor (coisa que preciso muito kkk). Vocês estão aqui porque possuem a amizade mais sincera que conheço, obrigada!


Deixe uma resposta