QUANDO EU TIVER UM SOFÁ

A vida não é igual para todo mundo!

Nunca tivemos sofá lá em casa. Acho que por conta do espaço, a cozinha e a sala acabaram ficando no mesmo lugar. Essa coisa de cozinha americana às vezes acaba com a gente. E como comida é algo bem relevante para nós – porque é nas refeições que nos encontramos e conversamos – a mesa foi ficando e sendo mais importante que ele. Depois vieram outros gastos e meus pais priorizaram coisas mais relevantes. Afinal de contas, é melhor vestir, viver, comer, do que apenas ter um sofá.

O mais curioso é que na casa do meu namorado também não tem sofá. E eu achei o máximo a vida fazer isso com a gente. Porque convenhamos, onde eu colocaria o pretendente para esperar no primeiro dia lá em casa? Percebi que ele não se importou em ver TV na mesa da cozinha e pensei que podíamos realente ser feitos um para o outro rs.

Mas, foi conversando com uma amiga – que sim também não tem um sofá – que comecei a imaginar o quanto ter um pode ser bom e até libertador. Estávamos em um café falando da vida e pensando no quanto as coisas seriam melhores e boas se tivéssemos um daqueles, bem grandes e fofos. Pensamos nas pessoas que receberíamos, nos filmes assistidos em baixo da coberta, nas inúmeras almofadas que colocaríamos e no prazer de pedir para não sentarem no braço, por favor. Toda essa conversa foi divertida e trouxe algumas reflexões!

Sai do café pensando que a vida é mesmo desigual algumas vezes e o detalhe do sofá pode dizer muito sobre privilégios e condições sociais. Comecei a rir pensando no quanto eu amo ir à casa das minhas avós para sentar no sofá e dormir neles, sempre que possível. E como me ofereço prontamente a sentar, nas casas que vou e encontro um lindo sofá me convidando para experimentá-lo. Eu simplesmente amo sofás. Amo!

O fato é que até hoje não temos o tal aconchego das almofadas lá em casa e no fundo, acredito que já nos acostumamos com sua ausência. Mas, isso de não ter um sofá pode ser um pouco constrangedor em algumas ocasiões, como receber visitas por exemplo. Sempre sinto algo entre engraçado e triste quando elas chegam à porta e pensam “vamos ter que sentar em cadeiras”. Por isso, a primeira coisa que eu quero fazer quando tiver um sofá é receber os amigos, para acomodá-los confortáveis na minha casa e no meu coração.

Parece pouco, mas não vou me sentir realizada comprando coisas com um alto valor. Vou me sentir realmente realizada quando comprar um sofá! Não pelo sofá. Pela mudança que ele representa!

2 comentários sobre “QUANDO EU TIVER UM SOFÁ”

  1. O interessante é que a gente só se dá conta de certas coisas quando divide isso com o outro; aquilo que parece tão seu, uma coisa, um “capricho” tão nosso, por vezes não é só um capricho e, na maioria das vezes, não é algo só nosso.
    Tratemos de festejar a cada sofá adquirido!

    1. Não mesmo, Allana. Quando a gente ousa olhar para o lado, vê que na verdade todo mundo é igual. Só que a gente passa muito tempo fingindo não ser, para caber melhor na lógica da sociedade.

Deixe uma resposta