NÃO EXISTE NUDE

Sobre os pequenos detalhes!

Faz alguns meses, recebi de uma pessoa que admiro muito, um pedido para que eu escrevesse sobre o Batom Nude e confesso, na hora não entendi nada!

Ela me disse que o batom nude estava diretamente ligado ao racismo e isso me deixou ainda mais confusa. Corri para minha bolsinha de maquiagem, achei o tal batom nude e olhando para ele não consegui compreender a complexidade da desigualdade racial que se materializava na minha frente. Resolvi então estudar sobre o assunto.

Pesquisei bastante, visitei sites bem legais relacionados ao tema e vi reportagens que simplesmente abriram minha mente. Em todos eles os questionamentos que rondavam o assunto, tratava o nude como a cor de pele. Mas a pele de quem? Porque o nude, grande destaque da moda dos últimos tempos, favorecia apenas a pele branca. Todos os batons, sapatos, meias calças, blusas, vestidos... todo o material nude era confeccionado para mulheres que tinham tons de pele brancos. Os tons negros, infelizmente, estavam fora do ideal mais “clean” da moda. E isso quer dizer muita coisa.

Nesse caminho de procuras, percebi que no fim a tal cor nude não existe. O nude é muito mais plural que o bege. É muito mais vivo que o rose. O nude é a demonstração do quanto nosso mundo é diverso, multicolorido e repleto de vida. Cada uma de uma cor, todas igualmente humanas. O nude não é nude, o nude é cor de pele. Cor de várias peles. Cor de vários povos, de várias bocas, de vários pés. Cor de vários corpos. Nude é resistência.

Nessas pesquisas, descobri uma empresa que lançou sapatilhas e scarpins (um tipo de salto alto fino) de diversos tons, para diversas peles e revolucionou a moda. Revolucionou porque olhou para o lado, revolucionou porque viu o outro. Assim, do alto do meu privilégio, com um batom nude que se encaixa a minha cor de pele, olhei bem fundo para mim mesma e pensei que essa revolução toda já poderia ter acontecido há muito tempo... Era só termos olhado os pequenos detalhes.


Um agradecimento especial a Karla Barreto, que me presenteou com esse tema e com essa descoberta, além de revisar esse texto! Graças a ela, o nude nunca mais será o mesmo!


 

Deixe uma resposta